sexta-feira, 25 de março de 2011

Oficina de Histórias


A cultura é uma somatória de costumes, tradições e valores, é um jeito próprio de ser, estar e sentir o mundo,  jeito este que leva o indivíduo a fazer, ou a expressar-se, de forma peculiar.

Esse SER é também PERTENCER a algum lugar, a alguma fé ou a um grupo, seja família, amigos ou povo,temos na cultura um forte agente de identificação pessoal e social, um modelo de comportamento que integra segmentos sociais e gerações, uma terapia efetiva que desperta os recursos internos do indivíduo e fomenta sua interação com o grupo e um fator essencial na promoção da saúde, na medida em que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Isso independe de raça, sexo ou idade. De fato a Cultura pode abrir caminhos para a promoção da saúde por ser uma ferramenta que favorece a expressão de sentimentos, resgata memórias, e facilita a integração social e a comunicação. Além disso, a cultura expressa a história, hábitos e costumes de gerações.

Por isso, a aproximação da cultura com a saúde consiste em proporcionar bem-estar. O processo do envelhecimento gera perdas e ganhos, mas, na medida em que, a cultura é explorada como produção de sentidos e favorece a expressão da velhice em suas várias dimensões, facilita a saúde emocional e física.
A consciência de SER pode gerar solidão caso não haja a consciência de PERTENCER, ou seja, de compartilhar a existência com outros.
O símbolo cultural tem esta plasticidade de prestar-se a diversas interpretações em vários níveis de complexidade psicológica.

Então para aliar a cultura à saúde, o Espaço Cultural Sobrado propõe um trabalho voltado para o público a partir dos 60 anos por meio da OFICINA DE HISTÓRIAS. Esta será realizada no próprio Espaço Cultural Sobrado e terá como objetivo promover o resgate de memórias passadas, favorecer a auto estima, despertar a consciência de si mesmo, compartilhar experiências vividas e promover a integração social, através de dinâmicas específicas e muitas histórias a serem contadas e compartilhadas.

Oficina de Histórias
Horário: toda segunda-feira de 14h às 15h30min
Investimento mensal: R$ 35,00
Facilitadora: Rogéria Conceição

sábado, 19 de março de 2011

Dia do artesão!


Que pessoas tão especiais são essas, que dominam em suas mãos, o poder de CRIAR? Criar arte, desfrutar de pequenas matérias-primas e modelar obras primas. Obras que de tão orgulho feitas e acabadas, pode de tamanha emoção, ser chamada de filha, filha de um mestre criador. Divina profissão, inspirada por Deus, nosso maior artesão. De criatividade sem limites, esses artistas tem um plano de criação infinito, em que o que manda é apenas sua genialidade e imaginação.As mãos sujas, os calos, o esforço, o suor, o desempenho e a gratificação ao reconhecer sua própria criação, como uma beleza inacreditável.
Viva essas fantásticas personalidades, que conseguem através de sua peça, transmitir também, seu sentimento, sua alma.

O Espaço Cultural Sobrado deseja a todos:
FELIZ DIA DO ARTESÃO!

terça-feira, 8 de março de 2011

Ó Maria Flor

Do alto da janela, surge a namoradeira, a encantadora boneca, Maria Flor.  Ó Maria Flor, não saia da janela, nos presenteie com esse seu sorriso de contagiar, com esse disfarce tão ingênuo, de uma criatura tão namoradeira. Maria Flor é de Minas. Com um charmoso lenço preto com bolinhas brancas, uma flor pregada no peito, seu batom extravagantemente vermelho e uma simplicidade de mexeriqueira , ela nos cativa.
Bom, vamos contar essa história?

                                        
                                                  A história de Maria Flor


Era uma vez uma menina, uma boneca, uma simpática namoradeira. Vivia há tempos naquele Sobrado vinho, tão sozinha. Nossa heroína, havia sido presa naquele Sobrado há muito tempo. Sua mãe prometera voltar, com uma enorme riqueza que iria buscar.

Pobrezinha, Maria Flor ficou abandonada, sem companhia, isolada naquele imenso espaço. Mas teve que se virar, aprendeu a cozinhar, e sua vidinha tão infantil levar. Conduziu seu leme desde então. Porém a jovem mocinha, já crescida, se deslumbrou, por sua maior diversão: namorar. Vivia a mexericar, se metendo na vida da vizinhança, deixando de ser criança, e os homens a conquistar.

Mas, Maria Flor (chamada assim, desde que cismou em por duas lindas florzinhas, uma na touca e outra pregada no peito) encontrou maior diversão, queria agora brincar de artesã, brincar com o barro,  esculpir a madeira, costurar, pintar, modelar, e mergulhar no mundo de criar. Com isso, resolveu garantir seu futuro, desistiu de ficar à espera de sua mãe. Criou então com sua própria paixão, o tão amado Epaço Cultural Sobrado. E de tão esnobe que ficou, cria peças com sua própria cara. Que criatura rara! Ó Maria Flor!

O que a Maria Flor faz?
Bem...

Ela cozinha
Ela produz peças lindíssimas
Ela canta
Ela faz projetos sociais
Conhece famosos (banda 14bis)
Grava CD
Comemora seu aniversário com os amigos. 
O Sobrado apresenta Maria Flor, não só como um simples marketing, mas sim, como a mais fiel expressão do nosso espaço. Em nossa loja, apresentamos suas peças, seja de um chaveiro a uma caixa de jóias. 
Aguardem, Maria Flor prepara muitas surpresas por vir...