sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Folclore, riqueza popular

Folclore, expressão de um povo, gênero de cultura popular! Obras, criações de um povo brasileiro, miscigenado, sábio, e rico de culturas. Seja da Europa, pelos esnobes PORTUGUESES, que  já chegaram mandando, na terra dos aventureiros ÍNDIOS, cultivadores, protetores do nosso patrimônio natural, aos negros AFRICANOS, escravizados, judiados, vivendo em condições animais. Nosso folclore, é o mais rico do mundo, por pertencer a culturas diversas, de várias nações e entidades de vários países do mundo. Como uma mistura de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeira  infantis,mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas... Ora, não há força maior do que a do próprio povo, que durante centenas de anos transmitem até os dias de hoje a nossa cultura popular através de gerações futuras.

Atire a primeira pedra que nunca ouviu falar nas malandragens no negrinho Perêrê, fumando seu cachimbo a gargalhadas de travessuras, e no Curupira, protetor da mata e inimigo mortal de caçadores, e da Iara, sereia encantadora de homens, ou quem sabe do Boto cor de rosa, charmoso, galante, pai de filhos incontáveis, e a Mula-sem-cabeça, assustando povoados inteiros, fruto de uma maldição.


E quem nunca participou de uma festa junina (julina ou agostina)? A festa caipira, repleta de comidas típicas (canjica, salsichão, churrasquinho, arroz doce...) e quem nunca bailou numa quadrilha com cobra, ponte quebrada... E a capoeira, dança de defesa dos antigos escravos, hoje praticada com gingado por jovens negros e brancos. E o querido Boi-Bumbá, com todo seu balanço e cores encenando sua morte e ressurreição.

Ditados populares 
A sabedoria de antigos, está na boca do povo, os ditados populares: 

"Não adianta chorar pelo leite derramado"
 "Em casa de enforcado, não se fala em corda" 
 "Em terra de cego quem tem olho é rei"
 "Gaiola bonita não alimenta canário"
 "Galinha presa, também bota ovo" 
 "Em boca fechada , não entra mosca". 
 "Quem não tem cão, caça com gato"
 "Macaco velho não bota a mão em cumbuca"
 "Quem senta na garupa, não pega na rédea"
 "As aparências enganam"
 "Em pé de pobre, todo o sapato serve"
 "Quem tira retrato de graça é espelho"
 " Mais vale um hoje do que dois amanhãs"

Frases feitas
 As frases feitas, têm um significado interior, transmitindo sabedoria e conselhos.

"Ficar com dor de cotovelo"
(Quer dizer inveja ou ciúme)
"Dar nó em pingo d'água" (Fazer uma coisa díficil)
"Ficar com a pulga atrás da orelha" (Ficar desconfiado)
"Matando cachorro a grito"
 ( Estar numa situação bem difícil)
"Maria-vai-com-as-outras" 
( A pessoa que só faz o que as outras fazem)
"Tomar chá de sumiço" ( Desaparecer, ir embora)
"Vai lamber sabão!" (Não perturbe, não encha!)    
"Dar um sorriso amarelo" ( Ficar encabulado, sem graça)        
"Bicho-de-sete-cabeças" (Um problema muito complicado)
"Deixar a peteca cair" (Desistir, desanimar) 


Trava - línguas 
As trava-línguas também são infinitas, brincadeiras com palavras que desafiam a sua fala não falhar:



"Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão, 
o papa papava tudo, seria o papa papão"

"Pedro tem o peito preto. Preto é o peito de Pedro.
Quem disser que o peito de Pedro não é preto,
tem o peito mais preto que o peito de Pedro."

"Quando digo digo, digo digo, não digo Diogo.
Quando digo Diogo digo Diogo, não digo digo."

"Quem cara paca compra, paca cara pagará.
Quem compra paca cara, pagará cara paca"

"O padre Pedro partiu a pedra no prato de prata.
A pedra partiu o prato de prata do padre Pedro" 


 Nosso folclore é uma enorme riqueza do nosso país, e está no nosso cotidiano: nos conselhos, brincadeiras e festas, e na nossa infância através de inúmeras lendas. O Sobrado admira e estampa folclore em suas exposições e peças à venda.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário