domingo, 23 de janeiro de 2011

Bazar Solidário


A tão esperada abertura do nosso bazar, foi um enorme sucesso. Os nosso ilustres convidados, que tivemos a honra de receber em nosso Espaço Cultural, ficaram emocionados, curiosos, comovidos com a palestra: "A importância do amor na sociedade contemporânea". Com toda sua sabedoria e espiritualidade, a Dra. Vanessa Rezende, nos mostrou, como é importante o amor em nossas vidas. Após muito tempo refletindo, e tirando duvidas sobre o tema, todos os presentes, degustaram o nosso tradicional Café da Roça, e ainda adquiriram peças exclusivas, a preço de custo. A solidariedade entra em cena, quando parte da verba será revertida ao instituto Bruno Vianna, em prol dos necessitados. Foi uma grande experiência que ficará guardada em nossa história.

Mas você ainda pode conferir o bazar solidário!
Ele ficará aberto a comunidade até ABRIL.
Horário: de 9h até as 19h
             e sábado de 9h as 14h

Venha nos visitar!



Cursos 2011

O Espaço Cultural Sobrado está cheio de novidades em 2011, no intuito de ensinar. Desde que inaugurado em 2007, nós oferecemos a comunidade, cursos comandados por ilustres instrutores, que com sabedoria dão luz a arte, nas mãos de aprendizes. Já expressamos neste blog, o tamanho orgulho que temos em oferecer conhecimento a todos, da mais fantástica habilidade humana. Venha! Se renda a magia do artesanato, e crie suas próprias obras!

Pintura em madeira
O curso: desde o começo do mundo, nas escuras cavernas da pré-história, o ser humano expressa seus sentimentos, emoções e conhecimentos na forma de arte, já bem assistida pela humanidade: a pintura. Habilidade que ganhou grande força no período do Renascimento, nas mãos de fabulosos artistas como Leonardo da Vinci que deu forma, dimensão e detalhes em pinturas famosas, como Monalisa. Depois a arte pincelada em consagradas mãos, foi divulgada ao redor do mundo, por artistas ícones como, Claude Monnet, Pablo Picasso, Salvador Dali, Cândido Portinari, entre outros. A modernidade não foi capaz de assasinar essa tão forte expressão humana, pelo contrário, ela ganha força agora, não apenas em telas, mas também em objetos de utilidade e enfeites para casa, que ganham luz, com um toque de artista e uma bela pintura. São caixas (de jóias, de custura, de maquiagem...), porta-chaves, porta-retratos, porta-velas, porta-guardanapos, porta-lápis, bandejas, abajur, quadrinhos, orátorios e tudo que a imaginação for capaz. Aqui você vai ilustrar o MDF com o aprendizado de + de 70 técnicas, do craquelê ao country.
Instrutor: Francisco Moreira (Chiquinho)
Horários: Segundas-feiras e Quintas-feiras de 9h às 12h
                           Terças-feiras, Quartas-feiras e Sextas-feiras de 14h às 17h
                           Sábados de 9h às 12h
Mensalidade: R$ 70,00(setenta reais) 

Pintura em tela
O curso: A pintura ainda ganha cor também nas telas. Dando forma a criatividade do autor, seja num golfinho bailarino, dando seus saltos de tirar o fôlego, no encontro do sol e do mar, as montanhas desenhando o horizonte... Pinceladas mágicas vão dar luz a obras de arte.
Instrutora: Iolete
Horários: Segundas-feiras de 14h às 15h30min
Mensalidade: R$ 50,00 (cinquenta reais)

Oficina de retalhos
O curso: sempre que pensamos em retalhos, imaginamos um simpática vovó, emendando uma enorme colcha. A técnica que já adornava os imensos palácios dos faraós, passou por uma série de transformações, e já virou arte. Com junção de panos e uma boa costura, você pode fazer maravilhas. Usar o pano na construção de uma peça nos dá um plano de invenção sem limites. Seja com uma colcha, um forro de almofada, um tapete, um jogo americano, uma blusa e aonde a imaginação do artista permitir. Por que se render as empresas, se você  mesmo pode criar uma obra de arte, que enfeite sua casa, com seu estilo. 
Instrutora: Flávia
Horários: Terças-feiras de 14h as 16h
Mensalidade: R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais)


Papel Machê
O curso: em 2011 o curso de papel machê está novamente aberto. Técnica originada na antiga China, servia como armamento de grandes guerreiros, anos depois foi descoberta pelos francês que a batizaram como papier mâché, que significa papel picado, amassado e esmagado. Hoje existem inúmeras técnicas que ensinam a fabricação do papel machê.  Porém algumas delas deixam a ideia ambientalista morrer, limitando para coleta de papel picado, apenas materiais específicos, como ou papel higiênico ou jornais. Mas a nossa forma ensinada aqui visa a ecologia. O resultado é satisfatório, a massa é incrivelmente macia, cheirosa, e resistente. Uma maneira simples de você, também, fazer arte e colaborar com o meio ambiente, reaproveitando materiais que ficariam anos para se decompor na Terra. Vamos fazer arte com reciclegem e muito bom gosto.
Instrutora: Valéria Rosa
Horários: Quartas-feiras de 16h às 18h   
 Mensalidade: R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais)


Mosaico
O curso: o mosaico nasceu, no sol escaldante do Egito, a milhares de anos, decorava as largas pilastras dos templos e os luxuosos sarcofágos de múmias. Como uma montagem e combinação de pequenos materiais (vidro, mármore ou cerâmica), aos poucos revelam a imagem, como um quebra-cabeça, idealizado pelo próprio artista. Uma imagem, um desenho montado aos poucos, sem pincel nem lápis, apenas com junção de materiais coloridos, que vibram, tomam formato e viram obra de arte. Em Juiz de Fora mesmo, temos o mosaico assinado por Cândido Portinari: As quatro estações, que é um monumento municipal. Em copacabana, no Rio de Janeiro, temos um enorme mosaico a céu aberto que é o famoso calçadão. Monte, desmonte, crie mosaico!  
Instrutora: Iolete
Horários: Terças-feiras de 9h às 11h
Mensalidade: R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais) 


Boneca de pano  
O curso: bonecas de pano, foram instrumento de brincadeiras de milhares de adultos, numa época em que o impérios de barbies ainda não dominava o mundo. Feitas a mão, com retalhos e restos de panos, ilustravam o imaginário das crianças. Hoje as bonecas com toda sua simpatia, também se transformam em: pesos de porta, puxa-sacos, e brinquedo, por que não?
Instrutora: Célia
Horários: Quintas-feiras e Sábados de 9h às 11h
Mensalidade: R$ 100,oo (cem reais, incluindo todo o material utilizado na confecção dos trabalhos)



sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Folclore, riqueza popular

Folclore, expressão de um povo, gênero de cultura popular! Obras, criações de um povo brasileiro, miscigenado, sábio, e rico de culturas. Seja da Europa, pelos esnobes PORTUGUESES, que  já chegaram mandando, na terra dos aventureiros ÍNDIOS, cultivadores, protetores do nosso patrimônio natural, aos negros AFRICANOS, escravizados, judiados, vivendo em condições animais. Nosso folclore, é o mais rico do mundo, por pertencer a culturas diversas, de várias nações e entidades de vários países do mundo. Como uma mistura de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeira  infantis,mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas... Ora, não há força maior do que a do próprio povo, que durante centenas de anos transmitem até os dias de hoje a nossa cultura popular através de gerações futuras.

Atire a primeira pedra que nunca ouviu falar nas malandragens no negrinho Perêrê, fumando seu cachimbo a gargalhadas de travessuras, e no Curupira, protetor da mata e inimigo mortal de caçadores, e da Iara, sereia encantadora de homens, ou quem sabe do Boto cor de rosa, charmoso, galante, pai de filhos incontáveis, e a Mula-sem-cabeça, assustando povoados inteiros, fruto de uma maldição.


E quem nunca participou de uma festa junina (julina ou agostina)? A festa caipira, repleta de comidas típicas (canjica, salsichão, churrasquinho, arroz doce...) e quem nunca bailou numa quadrilha com cobra, ponte quebrada... E a capoeira, dança de defesa dos antigos escravos, hoje praticada com gingado por jovens negros e brancos. E o querido Boi-Bumbá, com todo seu balanço e cores encenando sua morte e ressurreição.

Ditados populares 
A sabedoria de antigos, está na boca do povo, os ditados populares: 

"Não adianta chorar pelo leite derramado"
 "Em casa de enforcado, não se fala em corda" 
 "Em terra de cego quem tem olho é rei"
 "Gaiola bonita não alimenta canário"
 "Galinha presa, também bota ovo" 
 "Em boca fechada , não entra mosca". 
 "Quem não tem cão, caça com gato"
 "Macaco velho não bota a mão em cumbuca"
 "Quem senta na garupa, não pega na rédea"
 "As aparências enganam"
 "Em pé de pobre, todo o sapato serve"
 "Quem tira retrato de graça é espelho"
 " Mais vale um hoje do que dois amanhãs"

Frases feitas
 As frases feitas, têm um significado interior, transmitindo sabedoria e conselhos.

"Ficar com dor de cotovelo"
(Quer dizer inveja ou ciúme)
"Dar nó em pingo d'água" (Fazer uma coisa díficil)
"Ficar com a pulga atrás da orelha" (Ficar desconfiado)
"Matando cachorro a grito"
 ( Estar numa situação bem difícil)
"Maria-vai-com-as-outras" 
( A pessoa que só faz o que as outras fazem)
"Tomar chá de sumiço" ( Desaparecer, ir embora)
"Vai lamber sabão!" (Não perturbe, não encha!)    
"Dar um sorriso amarelo" ( Ficar encabulado, sem graça)        
"Bicho-de-sete-cabeças" (Um problema muito complicado)
"Deixar a peteca cair" (Desistir, desanimar) 


Trava - línguas 
As trava-línguas também são infinitas, brincadeiras com palavras que desafiam a sua fala não falhar:



"Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão, 
o papa papava tudo, seria o papa papão"

"Pedro tem o peito preto. Preto é o peito de Pedro.
Quem disser que o peito de Pedro não é preto,
tem o peito mais preto que o peito de Pedro."

"Quando digo digo, digo digo, não digo Diogo.
Quando digo Diogo digo Diogo, não digo digo."

"Quem cara paca compra, paca cara pagará.
Quem compra paca cara, pagará cara paca"

"O padre Pedro partiu a pedra no prato de prata.
A pedra partiu o prato de prata do padre Pedro" 


 Nosso folclore é uma enorme riqueza do nosso país, e está no nosso cotidiano: nos conselhos, brincadeiras e festas, e na nossa infância através de inúmeras lendas. O Sobrado admira e estampa folclore em suas exposições e peças à venda.  

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Não confunda vandalismo com arte

Monumentos históricos, esculturas significativas, praças, prédios, casas... Aos poucos tudo é manchado, por uma atitude vândala, já bem conhecida: a pichação. Riscos, rabiscos, expressões feias, a sujeira toma conta das cidades que já são tão cinzas. Pessoas que usam do spray uma façanha para a agressão visual, sujando muitas vezes, até mesmo, a história de um país.









Porém surge dos escombros da pichação, um novo movimento, que usa do spray um instrumento para arte. São estampas, desenhos elaborados, personalidades que dão as escuras cidades uma luz, um colorido. Jovens artistas ligados a tribos, criam obras de artes em um muro, em uma praça. Com um tom urbano, atual e às vezes protestante politicamente e socialmente. Esse movimento progrediu e hoje toma conta dos grandes pólos urbanos do mundo.

Um dos mais importantes castelos da Escócia, o de Kelburn, em Ayrshire, foi inteiramente grafitado em sua fachada pelos paulistas Nina Pandolfo, Nunca e a famosa dupla conhecida como Os Gêmeos    
Estilo de grafite tridimensional (3D), baseado num trabalho de brilho.



Eis o Sobrado, estampado na arte dos grafiteiros. Nós apoiamos o grafite, uma forma jovem, inovadora de fazer arte. Já realizamos várias exposições com a ilustre participação de um grupo de grafiteiros de JF e apresentamos em nossa loja obras de suas autoria. E viva o grafite!