sábado, 11 de dezembro de 2010

Vale do Jequitinhonha - Mestre Ulisses Pereira Chaves

"O lugar onde trabalho é um santuário, aqui acontece um milagre, um mistério, as peças vão nascendo, tem aqui coisas invisíveis, uma espécie de respiração que existe. Quem entrar aqui,se ficar descalço por mais de uma hora, não dormir e se for atento, aprende, vira artista. Criar, puxar oxigênio e energia. O corpo, os pés andando na terra, puxam esta energia, que faz fazer as peças. Eu tiro energia das estrelas, da terra. Sem animal e sem planta a energia vai se perdendo" 
                                                         (Mestre Ulisses)
 
Certamente, Ulisses Pereira, é o mestre ceramista mais famoso e respeitado da região do Vale.  Foi o homem pioneiro a trabalhar com o barro, apesar de estar numa longa linhagam matriarcal de paneleiras. Tendo uma infância na roça, já naquela época, sintia uma atração pelo barro, que era sua fonte de brincadeiras. Criava vaquinhas, bois, patos e marrecos, e tudo que sua sabedoria de interior permitia. Crescendo na pura humildade, Ulisses não teve oportunidade de estudos. Produzia peças juntamente com sua família e equilibrava com o duro trabalho nas lavouras. Assinava suas peças com as iniciais U.P, pelo fato do analfabetismo.

Apesar de ter sido um homem, que não sabia ler, nem escrever, mestre Ulisses, conhecia mais. Conhecia os mistérios da natureza, do canto dos passáros, da luz, da lua, do verde das árvores,conhecia o mundo que ninguém jamais viu. Sua imagem nunca foi divulgada, porque ele não tirava fotos. Porém algumas entrevistas, rarissímas, revelam o homem fantástico que ele era. Ulisses não só utilizava o barro, ele conversava, cativava e agredecia a terra. Dizia que tudo era vivo, "a terra é viva, a montanha é viva, o barro é vivo, o fogo também é". Sua obra é baseada em figuras místicas, surreais, onírica, inspiradas no seu conhecimento de um mundo repleto de energias.

Será difícil encontrar pessoa tão sábia, tão magnífica, quanto o grande Mestre Ulisses Pereira Chaves, que deixou esse mundo repeleto de mistérios, como ele acreditava, em 28 de dezembro de 2006, aos 84 anos, mas deixou sua rica experiência de obras, com vida no barro, em mãos tão habilidosas de suas decendentes.  


Os raros depoimentos de Ulisses, que foi concedido em 1989 a César Aché, confirmam sua inteligência do mundo:

"Na Lua minguante, às vezes fica fraco, na lua nova, a energia é demais, as peças explodem, estalam"

"Trabalho com qualquer barro, converso com ele e a peça sai. Se o barro está fraco, ele fala, diz para onde vai, de onde vem. A Lua domina o barro"

"É um dom de nascimento, conversar com as coisas invisíveis, aprendi com Deus; também tenho meu mistério. Difícil é conversar com o Sol, fiquei andando de um lado para outro até conseguir. Só converso com ele quando passa uma nuvem na frente

O Sobrado admira este artesão tão sábio, e na nossa loja está a venda peças de seu legado.

4 comentários:

  1. Olá.
    Vim conferir o seu blog e já fiquei fã.
    Agora vou poder conferir todas as novidades.
    Adoro artesanatos e pessoas que fazem dos blogs uma arte a mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. muito obrigada1
    são pessoas de bom gosto como você que nós estamos precisando!
    visite-nos sempre!

    ResponderExcluir
  3. EU FILHO DE ULISSES PEREIRA CHAVES,VENHO DIZER QUE MEU PAI É E SEMPRE SERA O MEU MAIOR ORGULHO,UM VERDADEIRO MESTRE!

    ass;marcos alves chaves
    email; teteupires@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Olá! Vi que vocês tem peças do Ulisses a venda, como faço para obter mais informações?

    ResponderExcluir